Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Fale conosco via Whatsapp: +55 34997661110
No comando: ESTE É O MATÉRIA PRIMA

Das às

No comando: PROGRAMA MADRUGA 10

Das 00:00 às 06:00

No comando: CAFÉ COM NOTICIA O JEITO 10 DE COMEÇAR O DIA

Das 07:00 às 09:00

No comando: PROGRAMA TERRITÓRIO NACIONAL – 1° EDIÇÃO

Das 09:00 às 09:25

No comando: PROGRAMA 10-80 – AOS SABADOS

Das 12:00 às 12:20

No comando: PROGRAMA 10-80 – 1° EDIÇÃO

Das 12:00 às 12:20

No comando: PROGRAMA 10 PLUGADA

Das 12:00 às 13:00

No comando: PROGRAMA TERRITÓRIO NACIONAL – 2° EDIÇÃO

Das 14:00 às 14:25

No comando: PROGRAMA 10-90 – AOS SÁBADOS

Das 15:00 às 15:20

No comando: PROGRAMA 10-90 – 1° EDIÇÃO

Das 15:00 às 15:20

No comando: PROGRAMA 10-80 – 2° EDIÇÃO

Das 18:00 às 18:20

No comando: PROGRAMA CLÁSSICO DO ROCK

Das 18:00 às 19:00

No comando: PROGRAMA TERRITÓRIO NACIONAL – 3° EDIÇÃO

Das 20:00 às 20:25

No comando: PROGRAMA 10-90 – 2° EDIÇÃO

Das 21:00 às 21:20

No comando: PROGRAMA DANCE DISCO CLUB

Das 22:00 às 00:00

No comando: PROGRAMA 10 BY NIGHT

Das 22:00 às 00:00

Menu

MVBILL LANCA NOVO DISCO “VOANDO BAIXO”, COM CRITICA AO PODER PUBLICO

O rapper carioca MVBill- Douglas Jaco- Divulgação

 

O trabalho do rapper MVBill, de 47 anos já vem se destacando por criticas e denuncias pela ausência do poder publico nas comunidades, principalmente as mais carentes. Ele já havia lançado no inicio da pandemia no Brasil, o single QUARENTENA com pedido para moradores das favelas para ficarem em casa e usarem mascara. O alerta era para que as pessoas da favela tivessem um comportamento para cuidar da própria vida e não ficarem entregues a própria sorte.

E agora em seu novo trabalho mas uma vez o destaque ficou para a critica ao descaso com a saúde durante a pandemia e aos efeitos nefastos da doença nas favelas. O novo álbum “Voando Baixo” MVBill que também eh escritor e ativista social fala principalmente sobre a realidade atual das favelas e faz uma afirmação sobre a pandemia que na sua opinião, só explicitou ainda mais a dura realidade da saúde, ou a falta dela, nas favelas e comunidades do Brasil.

Morador da Cidade de Deus, favela do Rio de Janeiro, ele viu de perto o estrago que a pandemia fez , perdeu vários amigos da musica, da arte, e pessoas próximas e se entristeceu de ver que mesmo as pessoas vendo outras morrendo ali do lado, se mantiveram céticas e se recusam a usar mascaras além de insistirem em ainda abraçarem cumprimentar com abraços e mãos.

No álbum o  rapper destaca a faixa “Noiz Mermo” , uma gíria usada nas comunidades que fala sobre auto representação, que seria uma forma de mobilizar os próprios moradores, em prol deles mesmos, para não terem que esperar ações do poder publico.

Esse álbum conta também com canções para o coração, como Sintonia Real e no Calor da Emoção que falam sobre a alquimia sexual de um casal. Esse eh o decimo segundo trabalho do artista que com certeza deve render bons momentos para o rapper.

 

 

 

Deixe seu comentário: